Publicado por: Eliania Silva | quinta-feira maio 29, 2008

NEUROPATIAS PERIFÉRICAS

INTRODUÇÃO

As lesões dos nervos periféricos apresentam alterações funcionais tanto sensitivas quanto motoras, e se não forem adequadamente tratadas, podem provocar um déficit importante, com prejuízos na qualidade de vida dos pacientes.

As lesões nervosas periféricas se dividem em neuropraxia quando há perda da condutividade elétrica em determinado segmento da fibra nervosa, axonotmese quando há degeneração walleriana do axônio e neurotmese quando afeta todas as fibras do nervo.

A Neuropatia Periférica é um distúrbio funcional ou orgânico do sistema nervoso periférico e sua apresentação clinica pode ser classificada em: mononeuropatia, mononeuropatia múltipla, polineuropatia e polirradiculoneurítico ou polirradiculopatia, suas causas podem ser diversas, tais como: Distúrbios hereditários, tumores, doenças auto-imunes, dentre outras. Diversos fatores devem ser considerados no momento do diagnóstico e do tratamento e este deve ser feito por uma equipe multidisciplinar.

2. NEUROPATIA PERIFÉRICA

2.1 Aspectos Gerais

O Sistema Nervoso se divide em Sistema Nervoso Central e Sistema Nervoso Periférico.

clip_image002

O Sistema Nervoso Periférico (SNP) é a parte do sistema nervoso que se encontra fora do sistema nervoso central (SNC), é constituído pelos gânglios nervosos (aglomerados de corpos celulares de neurônios localizados fora do sistema nervoso central) e pelos nervos (feixes de fibras nervosas envoltas por uma capa de tecido conjuntivo) As fibras que constituem os nervos são em geral mielínicas com neurilema.

São três as bainhas conjuntivas que entram na constituição de um nervo: epineuro (envolve todo o nervo e emite septos para seu interior), perineuro (envolve os feixes de fibras nervosas), endoneuro (trama delicada de tecido conjuntivo frouxo que envolve cada fibra nervosa). As bainhas conjuntivas conferem grande resistência aos nervos sendo mais espessas nos nervos superficiais, pois estes são mais expostos aos traumatismos.

A função do SNP é conectar o sistema nervoso central às diversas partes do corpo humano.

Os nervos desse sistema se dividem em dois grandes grupos: os nervos cranianos (são os nervos ligados ao encéfalo, estão em número de doze pares, responsáveis pela intervenção dos órgãos do sentido, dos músculos e glândulas da cabeça, e também de alguns órgãos internos) e os nervos espinhais ou raquidianos (dispõe-se em pares ao longo da medula, um par por vértebra).

clip_image0032.2 Divisão funcional do SNP

O sistema nervoso periférico pode ser dividido funcionalmente em dois grupos de nervos: SNP Somático ou Voluntário e SNP Autônomo, Involuntário ou Visceral;

SNP Somático ou Voluntário – possui ações voluntária ou dependente de nossa vontade, tem por função reagir a estímulos provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos esqueléticos (porém ele também possui fibras que controlam os reflexos. Exemplo, puxar o pé ao pisar em um prego é um reflexo controlado pelo SNS, mas que ocorre automaticamente antes que se tenha consciência do estimulo).

SNP Autônomo, Involuntário ou Visceral – comandam atividades involuntárias e tem por função regular o ambiente interno do corpo, controlando atividades do sistema digestivo, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele contém fibras nervosas que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras e à musculatura do coração.

O SNP Autônomo se divide em: SNP Autônomo Simpático e SNP Autônomo Parassimpático

Eles se distinguem tanto pela estrutura quanto pela função. Enquanto os gânglios das vias parassimpáticas estão próximo ou mesmo dentro do órgão efetuador, os gânglios da via simpática localizam-se ao lado da medula espinal, distante do órgão efetuador.

clip_image005

As fibras nervosas simpáticas e parassimpáticas inervam os mesmos órgãos, mas trabalham em oposição. Enquanto um dos ramos estimula determinado órgão, o outro o inibe. Essa ação antagônica mantém o funcionamento equilibrado dos órgãos internos.

O SNPA simpático, de modo geral, estimula ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo responder a situações de estresse. Por exemplo, o SNPA simpático é responsável pela aceleração dos batimentos cardíacos, e pela ativação do metabolismo geral do corpo.

Já o SNPA parassimpático estimula principalmente atividades relaxantes, como a redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.

É graças ao SNP que o cérebro e a medula espinhal recebem e enviam as informações permitindo-nos reagir às diferentes situações que têm origem no meio externo ou interno, porém os nervos periféricos são frequentemente traumatizados, resultando esmagamentos ou secções que trazem como conseqüência perda da sensibilidade e da motricidade no território inervado, as lesões nervosas periféricas são comuns, e não há uma fórmula facilmente disponível para o sucesso do seu tratamento, sendo que as lesões incompletas são as mais freqüentes.

3. NEUROPATIA PERIFÉRICA

Neuropatia Periférica é um distúrbio funcional ou orgânico do sistema nervoso periférico; degeneração do nervo periférico que supre as extremidades, causando perda da sensação, fraqueza muscular e atrofia.

(Dicionário de Terapia Ocupacional, 2006).

3.1 Fisiopatologia das lesões nervosas periféricas

Seddon classificou as lesões nervosas em três categorias: neuropraxia, axonotmese e neurotmese.

clip_image007

Neuropraxia   axonotmese   neurotmese

l Neuropraxia é quando há perda transitória da condutividade elétrica de determinado segmento da fibra nervosa, sem perda de continuidade e com preservação anatômica de todos os seus elementos. Geralmente resulta em perda temporária da função, que se recupera completamente após alguns dias. A sensibilidade geralmente está preservada, podendo haver apenas disestesias (sensação de alfinetadas e agulhadas que a pessoa sente quando uma de suas extremidades adormece). A estimulação nervosa em pontos proximais à lesão resulta em ausência de respostas distais. No entanto, a estimulação nervosa abaixo do local da neuropraxia não revela anormalidades. A avaliação muscular não mostra sinais de desnervação muscular.

l Na axonotmese há “degeneração walleriana” do axônio, com solução de continuidade e fragmentação distal da fibra. Se for mantida a integridade da membrana axonal e principalmente das células de Schwann. A axonotmese resulta em interrupção imediata da condução nervosa do axônio afetado.

l A neurotmese afeta todas as fibras do nervo e observa-se ausência total de respostas nos segmentos distais à lesão. O quadro se manifesta com paralisias periféricas, atrofias e degenerações musculares. A regeneração é menos bem-sucedida que um axonotmese.

A manifestação clinica nas lesões nervosas periféricas variam de acordo com o grau e o tipo da lesão, assim como dependem da área anatômica inervada pelo nervo, ou nervos afetados.

3.2 Classificação das Neuropatias Periféricas

Embora o número de etiologias das Neuropatias Periféricas (NP) seja muito grande, sua apresentação clínica é mais limitada. Desse modo, as NP podem ser classificadas de acordo com seis parâmetros principais:

1. Velocidade de instalação: aguda (menos de uma semana); subaguda (menos de um mês); crônica (mais de um mês);

2. Tipo de fibra nervosa envolvida: motora, sensitiva, autonômica ou mista;

3. Tamanho de fibra nervosa envolvida: grossa, fina ou mista;

4. Distribuição: proximal, distal, difusa;

5. Padrão: mononeuropatia, mononeuropatia múltipla, polineuropatia e polirradiculoneurítico;

6. Patologia: degeneração axonal, desmielinização segmentar e mista;

Quanto ao padrão de envolvimento do SNP, devem-se distinguir dois grupos de NP:

O primeiro grupo denominado como polineuropatias ocorre quando as doenças causam alteração da função dos nervos periféricos de modo simétrico, distal e bilateral ou polirradiculopatia ou polirradiculoneuropatia se há envolvimento de raízes espinhais ou raízes e troncos dos nervos periféricos;

Existem diversos tipos de polineuropatias:

1. Polineuropatias Axonais Sensoriais e Motoras Agudas (Neuropatias tóxicas), e Crônicas (Diabetes);

2. Polineuropatias Axonais Predominantemente Motoras Agudas (Polineuropatia axonal motora aguda), e Crônicas (Intoxicação por chumbo);

3. Polineuropatias Axonais Sensoriais Agudas (associadas à infecção por HIV) e Crônicas (Deficiência de vitamina E);

4. Polineuropatias Desmielinizantes Predominantemente Motoras Agudas (Difteria) e Motoras e Sensoriais Crônicas (Hanseníase);

A polineuropatia possui muitas causas diferentes, uma infecção, uma reação auto-imune, substâncias tóxica, um câncer, deficiências nutricionais e os distúrbios metabólicos como a deficiência de vitamina B que afeta os nervos periféricos de todo o corpo.

O segundo grupo é denominado de mononeuropatia e compreende lesão focal de um nervo periférico, ou multineuropatias que acometem múltiplos nervos, sendo às vezes chamada de Mononeuropatia Múltipla, Neuropatia Múltipla, ou melhor, ainda de Multineuropatia. É de acometimento assimétrico e irregular, afeta nervos diferentes em cada segmento do corpo e ainda às vezes os mesmos nervos, mas, em fases diferentes de evolução. Em suas fases mais avançadas, quando se apresenta como quadros crônicos confluentes, pode nos confundir, e nos fazer pensar em uma polineuropatia.

Na Mononeuropatia o traumatismo é a causa mais comum. A lesão também pode ser causada pela pressão prolongada sobre um nervo superficial em locais onde existem proeminências ósseas como o cotovelo, a compressão durante o sono profundo pode ser suficientemente prolongada para lesar um nervo – especialmente nos indivíduos que se encontram anestesiados ou bêbados, nos indivíduos idosos confinados ao leito e naqueles paralisados. Os nervos também podem ser lesados durante atividades muito intensas, ou em um acidente. Um aparelho gessado mal feito, o uso inadequado de muletas.

Certos nervos periféricos são lesados mais freqüentemente que outros por causa de sua localização mais vulnerável, como no caso do nervo mediano no punho (cujo comprometimento resulta na síndrome do túnel do carpo).

De maneira geral acomete preferencialmente e inicialmente os MMII, não sendo isto uma regra geral.

3.3 Causas Principais

As causas das neuropatias periféricas são diversas como:

uDistúrbios hereditários (doença de Charcot-Marie-Tooth);

uDistúrbios sistêmicos metabólicos (Diabetes Melito, Deficiências Alimentares, consumo habitual de Álcool);

uTumores (Câncer, Linfoma);

uQuadros infecciosos ou inflamatórios (AIDS, Hanseníase – já foi uma das principais causas de neuropatia-, Sífilis, Lupo);

uExposição a compostos tóxicos (chumbo, mercúrio);

uMedicamentos (antiinfecciosos, anticâncer, anticonvulsivos);

3.4 Sinais e Sintomas

Há uma série de sinais e sintomas que podem ser: motores, sensitivos, reflexos, autonômicos e tróficos relativamente típicos da doença do nervo periférico.

· Alteração da função motora: fraqueza muscular, hipotonia e atrofia muscular;

· Reflexos profundos: a perda dos reflexos profundo na NP é comum;

· Alteração da Sensibilidade: tátil, térmica, dolorosa, vibratória todas são comprometidas, há parestesias freqüentes, hiperestesias, hiperpatia;

· Ataxia sensitiva e tremor podem estar presentes principalmente nos membros superiores;

· Alterações Tróficas e Deformidades: atrofia por denervação, deformidades de pés, mãos e coluna;

· Alterações autonômicas: anidrose (doença da pele em que há redução ou ausência da secreção do suor) e hipoextensão ostática são as manifestações mais freqüentes;

Outras alterações são: impotência sexual, dilatação do cólon e do esôfago, falta de lagrimas e saliva, perda de movimento parcial ou total, falta parcial ou total no controle dos movimentos, perda de sensibilidade, dificuldade de respiração, úlceras de pele, baixa auto-estima, difícil cicatrização, outras deformidades.

Os sintomas variam de acordo com o grau de acometimento de cada neuropatia

3.5 Diagnóstico

O exame físico e exames especiais como a eletromiografia (exame que consiste na captação e registro da atividade elétrica dos músculos em repouso através de um sistema que amplia muitas vezes os potenciais provenientes das fibras musculares e de grande importância para diferenciar uma neuropatia de uma miopatia – afecções musculares), exames hematológicos e bioquímicos, estudo do líquido cefalorraqueano (LCR), biópsia do nervo sural, sendo que sua causa deve ser investigada, se for um distúrbio metabólico e não uma lesão física o exame de sangue pode revelar o problema subjacente, exames de urina pode revelar uma intoxicação por metais pesados.

Segundo dados de literatura, dos casos diagnosticados de neuropatia, cerca de 25 % em média, ainda permanecem sem diagnóstico etiológico, a despeito de toda propedêutica, mesmo nos centros mais sofisticados.

3.6 Tratamento

O tratamento pode ser a cura do distúrbio (se possível) ou proporcionar uma maior independência e capacidade de cuidar de si mesmo ensinando o paciente a fazer a inspeção com espelho em caso de perda da sensibilidade, por exemplo, assim como também pode ser o controle dos sintomas.

Os exercícios podem ser utilizados para aumentar a força e o controle muscular. O uso de bengalas, muletas, cadeiras de rodas, aparelhos ortopédicos e talas podem melhorar a mobilidade, a capacidade para utilizar uma extremidade afetada, ou impedir deformidades.

Nem a neuropraxia nem a axonotmese requer intervenção cirúrgica, a menos que haja necessidade de aliviar a pressão no nervo. Uma neurotmese precisa ser suturada se houver alguma chance de recuperação.

clip_image009

O tratamento é multidisciplinar, incluindo a intervenção de fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas e terapeutas ocupacionais, entre outros.

3.8 Objetivos básicos do tratamento:

u Prevenir ou reduzir edema
O paciente deve aprender como posicionar o membro, particularmente em repouso, e receber aconselhamento geral sobre a prevenção do edema. Pode haver problemas se houver outras lesões associadas que impeçam o posicionamento adequado e o movimento.
O movimento é muito importante por causa da ação do bombeamento dos músculos sobre os vasos e o movimento ativo das articulações, que estira e comprime os vasos, mantendo assim uma circulação adequada. Se isso não for possível, os movimentos passivos ajudam a manter a circulação. A massagem pode ser feita para reduzir o edema, idealmente, com o membro na posição elevada.

u Manter a circulação na área afetada
Uma desaceleração na circulação reduz o suprimento efetivo de nutrição para os tecidos e a remoção dos produtos de detritos. Os movimentos ativos são o melhor meio de prevenir essa desaceleração, mas os movimentos passivos e a massagem ajudam se houver paralisia.

u Prevenir contraturas
É essencial prevenir o desenvolvimento de qualquer contratura que poderia impedir a recuperação. Os movimentos passivos devem ser realizados para manter a variação total de movimentos articulares e para manter o comprimento total dos músculos. Os movimentos passivos devem ser realizados diariamente, pois a rigidez pode se desenvolver muito rapidamente.

u Manter atividade e a força dos músculos não afetados
O paciente deve ser encorajado a usar os músculos não afetados do membro. Se isso não for possível por causa da paralisia, o terapeuta deve ser capaz de facilitar o movimento apoiando o membro ou a tala funcional, permitindo que os movimentos ocorram. A falta de controle muscular aumenta o risco de quedas ou outras lesões.

u Manter a função
O paciente deve ser encorajado a usar o membro o máximo possível. O uso de talas bem desenhadas e bem aplicadas (talas funcionais) pode permitir certa atividade funcional.

u Estágio de recuperação
Em um nervo misto, o programa de recuperação inclui a reeducação motora e sensorial. Dependendo do nervo e da extensão da perda motora e sensorial, a reeducação pode ser igualmente importante, especialmente no caso da mão.

u Reeducação muscular
Durante a realização de movimentos passivos antes que a recuperação ocorra, é bom que o paciente pense sobre o movimento desde que ele não cause muita ansiedade.

4. CONCLUSÃO

Ao final deste trabalho pudemos constatar que a neuropatia periférica é uma doença de causas múltiplas sendo algumas vezes difícil chegarem a um diagnóstico preciso.

Ela poderá ser tratada com sucesso dependendo do estágio em que sua causa foi identificada e do momento em foi iniciado o tratamento, assim como o grau de lesão ao se iniciar esse tratamento, limitando – se a alguns danos.

O tratamento das Neuropatias Periféricas é multidisciplinar, devendo ter o Terapeuta Ocupacional como membro efetivo desta equipe.

About these ads

Responses

  1. Gostaria de saber a evolução real da mononeuropatia multipla , pr sindrome de sjogren e artrite reumatoide
    obrigada

    qt ao artigo, vcs estão de parabéns
    obrigada

  2. oiii, tudo bom ?
    sou estudante do último ano de Terapia ocupacional e
    estou fazendo meu TCC em Lesão Nervosa periférica..

    gostaria de trocar materiais, informações.. sobre o assunto
    obrigadaaa

    aguardo resposta no meu e-mail

    • Olá, Cintia I
      Estou a disposição para lhe ajudar, é só você falar, farei o possível.
      Espero poder contar com você para fazer uma rede de comunicação entre todos que acessam esse blog, por isso se você souber responder alguma pergunta feita por outra pessoa eu agradeço a colaboração.
      Obrigada por acessar esse blog.

      • Ola! tudo bem com vc? estou tentando fazer aquele danado de NAMOGRAMA
        para prova de BIOENERGETICA em cardio gostaria se puder me ajudar estou meio perdido muito grato!

      • Desculpa vicente, no momento não estou podendo te ajudar. Mas espero que você se ache.
        Boa prova!

  3. Saudações académicas:

    Sou estudante de fisioterapia, e procuro informações sobre neuropatia periferia causada por VIH!!! obrigado…

    • Olá Antonio, espero ter lhe ajudado.
      Qualquer coisa estou a disposição.

  4. Me marido fez uma Artroplastia de quadril a seis meses e ainda sobre com a Neuropraxia, alguem saberia me dizer o tempo de cura?

    • A melhor pessoa para lhe responder essa pergunta é o médico que fez a cirurgia ou a equipe de reabilitação que o acompanha ou acompanhou, porque são vários aspectos que se deve levar em consideração, tanto da cirurgia, quanto da reabilitação (caso tenha sido necessário e se o paciente está fazendo) e se eu lhe falar um prazo certo posso lhe confundir ou por medo caso não bata com o que os médicos lhe falaram, mas se você acha que está demorando, lhe aconselho a procurar um médico e tirar todas as dúvidas, com seu marido do lado para avaliação.
      Obrigada por acessar esse blog.

  5. Fiquei com o tornozelo em repouso sobre uma superfície dura e proeminente por umas 4 horas seguidas. Agora não consigo erguer o pé. Já consultei 2 médicos ortopedistas e eles disseram que é caso de neuropraxia. Mas estou muito aflito porque já faz um mês e não consigo mover ainda. Tenho medo de ser o caso de axonotmese. A sensibilidade ao tato na região da lesão estava bem ruim, mas melhorou um pouco. Será que vou voltar ao normal? Agradeço muito se poderem responder.

    • Olá Wellington, primeiro peço desculpas pela demora em lhe dar uma resposta.
      Felizmente como você disse, a sensibilidade já está melhorando, mesmo que de forma demorada.
      Dá um diagnóstico pela internet, não só é proibido como fácil de se cometer erros, então o que posso lhe dizer é que se 2 ortopedistas lhe deram o mesmo diagnóstico é bem provável que esteja certo.Mas, se você não está satisfeito,você ainda tem a possibilidade de procurar uma terceira opinião ou dependendo do tempo você fez a primeira consulta,(se passou mais de um mês desde então), seria o caso de retornar e pedir exames ou verificar se seria o caso de reabilitação para ajudar a voltar o normal mais rapidamente.
      Espero que você fique bom logo.

  6. olá sou!sou academica de terapia ocupacional, estou cursando o 7º periodo.
    e fico muito feliz de ver um site desse voltado pra terapia ocupacional em que atende o publico mesmo com dificuldades digo pelo tempo, assuntos variados, enfim eliane gostaria de parabeniza-la pela sua coragem e determinação…
    e quando crescer gostaria de ser que nem vc …..
    bjxx
    espero ser correspondida rsrsr

    • Mayara,
      Obrigada pelas palavras de incentivo.
      O canal está à disposição para suas idéias tambem.
      Basta enviar-me material que terei maior prazer em publicar.

  7. oi, sou estudante de ed. fisica, e estou fazendo pesquisas sobre a neuropatia, e tenho duvidas sobre o diagnostico, gostaria de saber sobre: paciente com 65 anos, taxas de sangue, urina, ok, dor na perna direita( em especifico na panturrilha) em pé aumenta e sentada diminui, sente esta dor há 03 meses, doi todos os dias, esta semana começou formigamentos começando no dedo do pé e espanhando para a coxa. aguardo ancioso, resposta. obg.

    • Olá Israel!
      Não entendi direito a sua dúvida. Somente o médico está apto a dar um diagnóstico. Essa paciente já teve o diagnóstico médico? Terapia Ocupacional vai atuar na reabilitação, mas só depois de um encaminhamento médico. Os sintomas que você descreveu pode ser de várias doenças, tem que saber se é obesa, diabética…
      Desculpa por não poder lhe ajudar, a única coisa que posso fazer é te aconselhar a pegar alguns livros de patologia,talvez assim você ache as respostas para suas dúvidas.
      Espero que você se saia bem.

  8. Ola!!!!!!!!!! Adorei ler tudo o que vc escreveu. Foi de grande valia… Muito Obrigada e espero que continue com seus estudos nesta area para ajudar mais e mais pessoas que nescessitam de no minimo orientacoes de seus acidentes.

    Agradecida.

    • Olá Nidia
      Fico feliz em saber que lhe ajudei.

  9. Apresento quadro de neuropraxia dos nervos medianos do punho, compatível com síndrome do carpo bilateral.
    Por genntileza gostaria de recber informações sobre:
    - os tipos de tratamentos mais indicados, se possível informar a questão de medicamentos para esse trtamento
    - após o tratamento que modalidade de exercícios físicos seriam mais indicados.

    • Olá Zelita!
      A primeira coisa a fazer é procurar um médico para obter um diagnóstico certo e não ficar na suposição. Esse mesmo profissional é o único que pode lhe prescrever os remédios adequados. Ele também lhe encaminhará para a reabilitação e o prifissional, seja terapeuta ocupacional ou fisioterapeuta fará uma avaliação e verá quais os melhores exercícios a serem feitos de acordo com seu quadro.
      Todo o tratamento é muito particular e individual, só após uma avaliação será possível fazer o plano de tratamento.
      Espero ter lhe ajudado Zelita.
      Saúde pra você.

  10. Sinceramente gostei muito do trabalho apresentado. Parabéns. Necessito de mais informações sobre neuropatia periférica, não sei as causas, mas o que devo fazer? obrigada, sandra

    • Sandra, obrigada
      Não posso te prometer nada agora, mas logo que der posso te enviar algum conteúdo com mais informações, esse assunto realmente é um pouco complicado.
      Saúde e paz.

      • Aguardo anciosa mais informações. Já mudei de equipe médica, sinto algum avanço positivo mas, as noites e momentos de repouso são muito dolorosos. Obrigada, Sandra Leite Benda

  11. Olá meu marido tem diabet e sente muita dor todos os dias principalmente a noite nos pés e muita sensibilidade nas pernas não pode nem encostar, que doi isso pode ser NEUROPATIA PERIFÉRICA ?
    aguardo resposta obrigada

    • Olá Vera!
      Não se dá um diagnóstico sem ver, examinar a pessoa e mais, só o médico pode fazer isso, então eu lhe peço: não fique na dúvida, procure logo um médico. Ele vai fazer exames que poderão lhe responder com certeza o que seu marido tem. O fato dele já ter diabetes já é um fator para não descuidar e você sabe, quanto mais cedo o diagnóstico maior a possibilidade de cura.
      Saúde!

  12. Dr. Carlos
    Busquei seu e_mail através de seu site e estou me arriscando em solicitar a ajuda e ao mesmo tempo torcendo pela sua resposta.
    Eu tenho uma filha que hoje está com 26 anos. O último exame solicitado de eletroneuromiografia teve o seguinte comentário
    Os valores encontrados são compatíveis com Moneuropatia multipla sensitivo-motora predominante axonal. Em 2001 ela fez outro exame e estava dentro das normalidades.
    A Nicolle tem ainda, atrofia ótica e ataxia generalizada. Tem a inteligencia preservada, se formou em direito, casou com uma pessoa sem deficiencia e tinha o sonho de ser mae. NÃO TEM NENHUMA DOENÇA DIAGNOSTICADA. ela fez, desde os cinco anos de idade (vasta documentação) todos os exames para descobrir doenças e/ou sindromes e sempre as hipóteses foram afastadas.
    Ontem a médica disse que não sabe o que está por tras desse quadro mas que a Nicolle não deveria engravidar poisa gravidez poderia piorar o quadro dela e que se isso ocorrece a doença (?) poderia acelerar o quadro dela. Chegou a comentar que talvez não acompanharia a adolescencia dos filhos. Foi um choque!!!!
    O que nos gostaríamos é de respostas! Qual será o futuro da minha filha? O que deu de errado? Onde podemos buscar ajuda? Existiria um doutorando interessado a estudar o caso dela? Está todo documentado.
    Não existe formas de parar esta doença desconhecida?
    Por favor nos ajude.
    Sou Michéle Tancman C. da Silva – Niterói – RJ

    • Olá Michele!
      Tem muita coisa que não dá pra entender, ela tem ou não diagnóstico?
      Com que certeza alguém pode dizer que o outro viverá 5 ou 10 anos se nem sabe o que ela tem?
      Não sei como lhe dizer como será o futuro de sua filha ou o que deu errado, mas compreendo sua angústia e publiquei seu desabafo para o caso de alguém se interessar, ou puder lhe ajudar, possa entrar em contato com você.
      Passei um problema recente de saúde, passei por 15 médicos de cirurgiões, clinicos a hematologista para tentar ter o meu diagnóstico, fiz uma cirurgia de tentativa, ainda nem sei se deu certo, estou em pós cirurgia, mas uma coisa é certa eu vou continuar tentando, não me conformo com o diagnóstico de apenas um médico principalmente se ele me deixa com mais dúvidas.
      Espero que você encontre a ajuda necessária para sua filha e que tudo se resolva o mais rápido possível e lhe digo mais, o otimismo e fé fazem milagres.
      Desejo muita saúde e paz pra você, sua filha e familia.

  13. eliania

    gostei muito de conhece-la. gostaria de ter seu email para trocar idéias para manutenção do bem viver mesmo sofrendo de polineuropatia nos membros inferiores. tenho aparencia normal, sem atrofias porém o formigamento é intenso. aguardo resposta sobre as informações solicitadas. abraços…

    • Olá Consuelo!
      Não tenho muitas informações sobre polineuropatia, porque só fiz esse artigo e acabei enveredando pela área de pediatria, mas meu e-mail é elianiasq@hotmail, qualquer coisa pode me procurar, um amigo a mais na vida é sempre bom.
      Saúde e paz pra você.

  14. Olá :) Estão de parabéns pela informação publicada mas seria uma mais valia se colocassem referências bibliográficas ao longo do texto, tornaria a informação mais válida e fiável.
    Saudações ocupacionais :)

    Marta Marques, estudante de Terapia Ocupacional, Porto

    • Olá Marta!
      Você tem razão, mas em minha defesa quero dizer que todas as publicações enviadas até o inicio do ano passado foram trabalhos da faculdade e alguns são do 2º período, enfim do inicio da faculdade onde ainda não tinha conhecimento da importância das referências. Por quê eles continuam como antes já que agora sei como deveriam ser, você poderia perguntar, porque as pessoas gostam muito tanto do artigo de NP, quanto de STC…porque ficaram com uma linguagem de fácil compreensão e se eu fosse fazer alguma modificação poderia perder esse ponto positivo que eles tem, outro motivo nãao tão importante é que perdi todas as referencias e trabalhos que eu tinha até ano passado por problemas em meu computador.
      Mas os próximos não terão esse problema e você assim como os demais leitores já aprendam com isso, texto tem que ter referência.
      Abraço e sucesso na profissão.

  15. tenho neuropatia , nas panturrilha e nos cotovelo nao tenho diabete, dor nas pernas as panturrilha apartir de 09/03/2011 comecei um tratamento em Goiania com varios exame e resonancia , deu baixa de minerais e disvio de coluna precionando nervo ciatico, dormecia as pernas ,estou fazendo aplicaçao de ozonio , na coluna e ombro esquerdo. o sou tc de emfemagem em uma policlinica tenho 57 ano , 27 de seviço ,abraço.

  16. Gostei mto deste site. Estou mto preocupada com minha mãe, porque foi atestado pelo Vascular que ela tem Neuropatia nos membros inferiores. Ela sente dificuldade para andar, sente ardência e queimação nas pernas até a altura da virilha. Não sente dor. Já fomos com dois cirurgiões vasculares e todas as medicações que passaram, ela sente problemas na visão, não ente as pernas , sente um incômodo na cabeça. O último remédio que passaram pra ela foi a Gabapentina e com uma semana ela começou a se sentir assim com esses efeitos. Ela tem 92 anos, porém, é saudável, não tem nenhuma doença crônica , seus exames laboratoriais são totalmente de níveis normais, é totalmente lúcida, e tem um problema com a labirintite, que tomo labirin e tem se dado bem. Gostaria de saber se uma fisoterapia faria bem a esses sintomas da neuropatia, e se há algum fitoterápico capaz de realmente melhorar . Obrigada.

    • Olá Cecília!
      Eu não conheço nenhum fititerápico com ação comprovada, mas tem alguns sites só sobre neuropatia periférica, talvez eles tenham conhecimento, mas é sempre recomendado a indicação de um profissional, não se deve seguir recomendações apenas pela internet.
      Exercícios seja com fisioterapeuta seja com terapeuta ocupacional podem auxiliar, mas é preciso que um profissional avalie, oriente e supervisione.
      Saúde para sua mãe e para você também, afinal o cuidador também precisa se cuidar para ajudar.

  17. Oi Querida, a minha mae tem hepatite c, encefalopatia e neuropatia periferica, sente muita dormencia nos pes e pernas principalmente a noite, gostaria de ver com vc alguma dica para amenizar as dores e formigamento, gostaria derrepente de tentar homeopaticos ou naturais, oque vc acha, ele toma muitos remedios diariamente.
    Muito obrigado e parabens pelo conteudo.

    fabivazalves@hotmail.com

    • Fabi
      Obrigada pelo comentário.
      Eu penso que não devemos nos limitar a remedios se temos outras opções para nosso bem estar, sei que precismos deles, mas não precisamos achar que só eles vão resolver todos os problemas que temos.
      Se você tem outras possibilidades aconselho a ir atrás.
      Acupuntura, massagem, hidroginástica, homeopáticos…só procura um profissional para avaliar porquê o que faz bem para uma pessoa pode não fazer para outra, o que ajuda no tratamento de uma doença pode atrapalhar na outra, então é sempre bom ter uma indicação de um profissional de saúde.
      Não posso fazer isso pela internet, a distância, sem exame fisico….
      Saúde para sua mãe, sinto não poder te ajudar.

  18. Boa noite, gostaria de te pedir uma orientação. Minha mãe tem neuropatia periférica a 7 anos. Ela tem 70 anos, sente formigamento e queimação nas duas pernas do joelho para baixo, faz uso de gabapentina 300 mg, 9 comp por dia. Mesmo assim a dor diminui apenas um pouco, as vezes o remédio nem faz efeito. Será que ela tem que tomar apenas comprimidos ou com exercícios de reabilitação poderia amenizar as dores? Você pode me indicar alguns exercícios para que minha mãe possa fazer? Aguardo ansiosa o seu retorno.

    Atenciosamente,
    Ana Paula

    • Ana Paula
      Não posso passar exercícios sem fazer uma avaliação, sem saber o que ela gosta de fazer, tem muitas coisas que devem ser consideradas antes de passar alguma atividade.
      O melhor é procurar um profissional para avaliar e juntos fazer uma escala de exercícios, mesmo porque ela já tem uma idade que precisa de supervisão na hora de realiza-los.
      Acredito que ela poderia se beneficiar com alguns exercícios, mas não posso te ajudar.
      Saúde para sua mãe.

  19. Obrigada, vou fazer como você me orientou.

  20. Olá Eliania, em maio de 2011 minha mãe foi diagnosticada com neuropatia diabetica, mas, apartir de outubro ela teve uma piora, a dor nos pes subiu com um formigamento e depois foi para as mãos e braços, agora ela sente uma pressão nas costas. MAS O QUE MAIS NOS PREOCUPA É A FALTA DE EQUILIBRIO PARA CAUSA DAS TONTURAS. MEU E-MAIL

  21. quais os execicios ou tratamento e qual o proficional expecifico para essa doença que são melhores para mononeoropatia multipla tenho muitas dores no estomago desconforto já tenho esse proplema há 5 anos.

  22. Olá. Comecei a sentir muito choque pelo corpo e depois sensação de agulhadas que me deixavam muito mal. Sentia dificuldade de movimentar as pernas. Procurei um neuro e me passou o eletroneuromiografia. Resultado:”Exame sugestivo de comprometimento axonal difuso e desproporcionado nos quatro membros com predomínio a direita predominantemente nos membros inferiores.” Ele me passou ETNA e agora sugeriu que fizesse aplicações (axilas, próximo ao pescoço, virilhas…). Estou cheia de medo de fazer este tratamento. Mas tenho sentido muita queimação no peito do pé e nas panturrilhas. Pensei em procurar um outro médico para confirmação, mas não tenho nenhuma indicação. Preciso muito de orientação. Se alguém pudesse me ajudar….
    Obrigada!

    • Olá Rosa!
      Se você deseja procurar outro profissional para confirmação do diagnóstico faça isso, você se sentirá mais segura.
      Não tenho quem te indicar, mas deixo aqui seu recado, caso alguém possa te ajudar.
      Espero que você fique bem.
      Saúde!

      • Muito obrigada, Eliana. Já estou correndo atrás de um outro médico para pelo menos me sentir mais segura, mas ainda não tenho ninguém. Espero que alguém possa me ajudar.
        Um forte abraço

    • boa noite Rosa
      acabei de ler seu depoimento e sei como vc deve estar sofrendo com esses sintomas pois eu sinto exatamente isso! meu caso começou com um volume aumentado na perna esquerda e fui num medico vascular . Ele achou que fosse trombose e queria me operar. fui buscar uma segunda opinião, fiz 1 monte de exames e não deu nada.Nessse meio tempo passou para a outra perna e tbem nos braços a queimação e as agulhadas. finalmente encontrei um medico que me deu o diagnostico: neuropatia periferica… um horror! procurou a causa em novos exames e deu tudo normal! tenho dores horriveis na coluna e só sei te dizer que está muito dificil aguentar. estou tomando lyrica de 150 mg e fazendo novos exames. espero de coração que vc fique boa.. qualquer novidade eu lhe comunico.. um abraço

    • Presado Marcio
      Procure outro medico se vc não está contente com esse. eu fiquei 2 anos sem diagnóstico, cheguei á sair de um medico vascular com o papel de internação para cirurgia vascular e era tudo da neuropatia. Tomo o lyrica de 75mg , mais um antidepressivo mas não estou sentindo melhora.
      Meu problema é compressão dos nervos , pois tenho degeneração da coluna lombar. desejo que vc melhore.. um abraço

  23. Olá tenho 41 anos e sou diabético tipo 2, fiquei por quase 10 anos sem controlar a doença hoje estou a 1 ano e meio em tratamento e está tudo normal, infelizmente adiquiri neuropatia periférica, passei por um Neroligista fiz a eletroneuromiografia e estou tomando gabapentina de 400 mg e vitamina do complexo B, ele me informou que daqui uns 6 meses aparecera um resultado positivo, tenho dor nos pés e dormência já se passaram 3 meses e não tive melhora alguma estou pensando em procurar outro neuro, gostaria da receber uma opinião, por gentileza se alguém puder me ajudar eu ficarei muito agradecido fico no aguardo tudo de bom a todos.

  24. Olá muito bom suas explicações parabéns.
    Há seis anos sinto uma queimação no quadril esquerdo,desse atrás da perna por baixo dela, e se estende a panturrilha até o pé.Já foi feito ressonância da coluna e das duas pernas,tomografia da coluna, também hum exame que coloca a agulha no ciático. Você acha que pode ser uma Multineuropatia?Me ajude não aguento mais.Obrigado.

    • Olá José Mauricio
      Eu sinto te dizer, mas só o medico mesmo para te dar o diagnóstico com certeza e isso depois que ele receber os exames solicitados.
      Mas lembre-se você sempre pode pedir a opinião de um segundo médico, caso você não se sinta confiante com esse que te acompanha.
      Eu não sou médica, sou Terapeuta Ocupacional e atuo na parte da reabilitação, de qualquer forma os diagnósticos devem ser dados após exame físico do paciente e dos exames.
      Saúde !

  25. Prezados Responsáveis, as informações têm me ajudado muito. Avancei mais no tratamento já tirei as bengalas, uso calçados apropriados e minha alto estima tem melhorado muito. Ainda não cheguei a uma conclusão qual a neuropatia periférica que estou incluida mas, após vagar por inúmeras clínicas e médicos parece que encontrei uma que está dando resultado há +/- 4 meses. As dores diminuiram muito. Obrigada mais uma vez. Não sou médica mas sou estudiosa e interessada pelo ser humano e toda sua complexidade. Atenciosamente, Sandra Leite Benda

    • Olá Sandra!
      Que bom saber que você está conseguindo melhoras.
      Obrigada pelo seu depoimento.
      Desejo a você muita saúde

      Eliania Silva – TERAPEUTA OCUPACIONAL

      • ola sandra
        Não sei como nem porque, eu acabo de receber um e-mail seu falando sobre neuropatia periferica. Deve ser porque ando procurando explicações na internet sem descanso. Eu já estava sentindo uma coisa quente descendo pela perna esquerda á algum tempo e tbem ela estava bem mais grossa que a direita.Mas á cada medico que eu ia, tinha que fazer mais exames e nenhum descobria oque era. Finalmente encontrei a resposta: neuropatia periferica, mas á essa altura, os sintomas já tinham piorado muito e tinham passado para a outra perna e tbem para os braços. Um calor horrivel e agulhadas depois das 6 horas da tarde me deixam doida! Fiz todos os exames e como não sou diabetica e as outras hipoteses foram excluidas, descobri que é por compressão dos nervos, pois tenho degeneração de disco lombar, oque me imposibilita de levar uma vida normal. Sinto dores horriveis. Vc poderia me ajudar dizendo oque vc fez para melhorar? Tenho procurando por medicos que façam descompressão do nervo e artroplastia… vamos ver se encontro!!Desejo de coração que vc fique boa, pois sei o qto é dolorosa essa doença. Obrigada… fique com Deus!

  26. Olá,
    Eu tomei um único comprimido de levofloxacino 500 mg no dia 24 de junho de 2012, apos 3 horas o meu corpo todo doia, os braços fisgavam e queimavam, taquicardia, suores, uma loucura. Até agora os sintomas não melhoraram. Em julho, após todo este sofrimento, tomei uma injeção de diprospan que aliviou 50% dos sintomas, apenas por 48 horas, para após voltarem com a carga total. Sintomas pioram à noite, parece noite de terror.
    Estou tomando corticóides e lyrica com muitos altos e baixos, Meus joelhos estão como geléia e atrás repuxam.
    Eletroneuromiografia não deu nada. Exames de sangue normais, enfim, choro muito pois não vejo a solução para isto.
    Acredito que o corticóide, meticorden 60 mg, só esteja mascarando o quadro, ou ainda, ao final, vai me trazer algumas surpresas desagradáveis.

    • Olá Cilene!
      Todos esses remédios foram indicados por algum médico que faz teu acompanhamento?
      Qual especialista você anda procurando? Talvez seja a hora de procurar mais alguém para te ajudar.
      Não tem um diagnóstico fechado?
      Procura um acupunturista pelo menos para alivio das dores e até descobrir qual o seu diagnóstico.
      Saúde.

  27. Bom dia Eliania!
    Sou mãe de uma criança de 5 anos, onde tem acompanhamento em um Hu sem fechamento de Laudo, dizem que ele tem Neuropatia doença Periférica, seus punhos e tornozelos são moles como uma distrofia, ele anda,corre mas não tem equilíbrio para parar sempre se apoia, é uma criança saudável e inteligente, já fizeram vários exames mas não conseguem fechar um laudo esta em investigação a 4 anos. Fico muito preocupada pois é uma doença rara e não sei do futuro dele, procuro doutores neuropediatra com especialização em neuropatia mas não tenho sucesso.Se puder me ajudar e orientar u indicar casos semelhante ficarei muito grata. Obrigada fique com Deus!

    • Olá Adriana!
      Não sei de onde você é e nem qual sua condição financeira.
      Você deve procurar os centros de referências, locais onde ocorrem pesquisas.
      Entre em contato com os hospitais pelos sites.
      Procura também um centro de reabilitação para uma avaliação e se necessário o inicio de acompanhamento para prevenir futuras disfunções.
      Um diagnóstico é difícil, principalmente de doenças raras, mas continua tentando.
      Não tenho como te ajudar por que também não conheço a doença.
      Se eu encotrar alguma informação que posso te ajudar disponibilizarei aqui no blog.
      Espero que você e seu filho fiquem bem.
      Saúde!

  28. Sofri uma pancada na parte inferior da coluna ao passar de moto em um buraco. Após alguns dias senti forte dor que saia da coluna e descia pela perna (tipo aquela dor no nervo ciático). Tomei antiinflamatório e a dor passou, porém repentinamente parte do meu pé e dedos ficaram adormecidos. O médico solicitou exame de ENMG, mas adiantou que provavelmente o adormecimento não tenha relação com a pancada e sim ao diabetes. Fiz exame que indicou 110 de glicemia. Pergunto: 1) esse nível de glicemia seria suficiente para causar neuropatia? 2) A neuropatia pode ter origem com um trauma do tipo que sofri? Grato.

    • Olá Fernando!
      Sinceramente, não tenho experiência nessa área.
      Sou Terapeuta Ocupacional, trabalho com reabilitação.
      A diabetes causa sintomas semelhantes aos que você sente. “A doença atinge as extremidades das duas pernas e, num segundo momento, o paciente pode sentir agulhadas, sofrer mudanças nos nervos sensitivos e motores, além da dormência e formigamento constantes. Dependendo do caso, a neuropatia diabética pode atingir somente um nervo, por exemplo, o da pálpebra.” Revista vigor -http://drfranciscobravim.site.med.br/index.asp?PageName=Diabetes-20e-20a-20Dor-20Neurop-E1tica
      Acredito que você saiba que essa doença é muito complexa, mas você fez o certo, procurou acompanhamento médico.
      Espero que você fique bem.
      Saúde!

  29. sofri desgracadamente com essa maudicao durante trez meses.quase perdi emprego ,familia e amigos. cheguei a pensar em suicidio,pois tudo estava indo de mau a pior extremamente rapido. eis que um dia conversando com um amigo medico,australiano ele me indicou (um remédio)..foi como jogar agua no fogo.dois ou trez dias depois ,eu voutei a andar,calcar meus tenis e a vida voutou ao normal em poucos dias..a dor era dimais por isso eu dou essa dica ( minha neuropatia era causada por problemas emocionais )inseguranca em algumas coisas . espero ajudar alguem porque o que passei nem o capeta merece.

    • Olá Sebastao!
      Bom saber que você ficou bem.
      Eu tive que retirar o nome do remédio pois muita gente poderia entender que eu estava indicando e isso não cabe a mim, somente os médicos podem prescreve-los.
      Também sei que o medicamento que serve pra um pode não ser o mais adequado para outro por isso a importância do acompanhamento com um profissional.
      Saúde e obrigada pelo depoimento.

      • Olá Eliana,
        Compreendo a sua preocupação em retirar o nome do remédio, porém ela não se justifica em um blog que tem a pretensão de informar. Mais adequado seria manter o nome do medicamento juntamente com uma observação como a que você fez no comentário acima. Me desculpe, mas você prestou um grande desserviço aos seus seguidores, mesmo porque uma informação que pode trazer alívio a milhares de pessoas seria útil até mesmo para aqueles que pertencem à área médica e ainda desconhecem o produto. Lamentável.

    • Poderia me ajudar? Sofro como .você

  30. Aonde eu trabalho é em uma injetora, firma de plastico, aonde fabrica chuveiros, thermosistem. Alguns meses atraz colocaram soldagem de pinos planos que contem estanho e chumco. Algumas pessoas apresentaram problema de saude, até eu, estou com dermatite e outros tbm. Obrigado.

  31. Boa noite. Ha dois anos sofro de queimação na região escrotal aliada de vermrlhidao.. Ha uns 8 meses vieram as dores em queimação nos pés, tornoZelos, e dorso das mãos. Fui em mais de 40 médicos em todo brasil, fiz exame clínico, laboratorial, de imagem e todos excelente. Até a emg deu otima. O qur a sra sugere? Poderia ser uma neuropatia?

  32. Oi, pergunta seria: se eu tiver o Nervo alveolar inferior cortado, vai dar Degeneração Walleriana. Todos nervos perto deste nervo vao ser degenerados? Todo o Nervo trigêmeo? Vai degenerar ate chegar ao neuronio do cerebro? Eu ja ranquei dentes a anos e nao perdi o Trigemeo? me responda por email, e por aqui se quiser mateus9595@bol.com.br

  33. UMMMM AMEI ….É BEM MAIS FÁCIL DO QUE PENSAVA ….ME AJUDOU MUITO PARA ESTUDAR PARA A PROVA SOU ACADEMICA EM FISIOTERAPIA …E TENHO AGORA NO 7 PERIODO A DISCIPLINA DE NEUROFUNCIONAL …

  34. Gostaria de falar contigo por e-mail.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 39 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: